Técnico/a de Ação Educativa

0.00

ATENÇÃO : Aceitam-se inscrições só até 30 de junho

APOIOS FINANCEIROS AOS FORMANDOS  + VANTAGENS :

  • A frequência no curso de Técnico/a de ação Educativa permite exercer a atividade de AMA certificada.
  • Bolsa de Formação – até ao máximo de 221,60€/mês  (50% x 443,20€ – IAS) | Subsídio de Alimentação – 4,77€/dia | Despesas de deslocação em transporte coletivo ou Subsídio de Deslocação – até ao máximo de 66,45€/mês |Subsídio de Alojamento, no caso de não haver transportes coletivos compatíveis OU residir a mais de 50 km – 132, 96€/mês (30% x IAS) |Subsídio de Acolhimento de dependentes (por motivos de frequência da formação) – 221,60€ (50% x IAS) | Seguro de Acidentes pessoais | Com Formação em Contexto Real de Trabalho (210 horas) em instituições de educação e apoio pedagógico locais , no final da formação.

Curso financiado pelo programa POCH, direcionado  para candidatos/as residentes na Região Norte de Portugal.

Contacto para próxima edição

Descrição


Localidade
Vila Real




Data Início
05/09/2022




Data Fim
30/06/2023




Cronograma




Observações
A frequência no curso que possibilita ao exercício da atividade de AMA.




Inscreva-se


Os cursos de educação e formação de adultos enquadram-se no Eixo Prioritário 3 – Aprendizagem, qualificação ao longo da vida e reforço da empregabilidade – do Programa Operacional Capital Humano (POCH), incidindo o presente aviso nos cursos de Educação e Formação de Adultos (EFA), regulamentados pela Portaria n.º 230/2008, de 7 de março, com a redação dada pelas Portarias n.º 711/2010, de 17 de agosto e n.º 283/2011, de 24 de outubro.

Os cursos EFA desenvolvem-se em percursos de dupla certificação do Catálogo Nacional de Qualificações (CNQ), visando obter, designadamente, uma qualificação de nível 2 ou 4 do Quadro Nacional de Qualificações(QNQ).

Será dada prioridade ao envolvimento nos cursos EFA adultos encaminhados pelos Centros Qualifica, devendo por isso em regra representar pelo menos metade dos participantes nos mesmos.


Idade Mínima: 24
Idade Máxima: 64
Situação: Desempregados à procura do 1º emprego
Desempregados à procura de novo emprego – Não DLD
Desempregados à procura de novo emprego – DLD

Habilitações Mínimas: Ensino secundário
Habilitações Específicas: Adultos com idade igual ou superior a 25 anos, à data de início da formação, com o ensino secundário completo e que desejem obter uma qualificação profissional.


No final da formação os formandos deverão cuidar, apoiar, vigiar e acompanhar crianças e jovens sob a orientação de outros profissionais, apoiando o planeamento, organização e execução de atividades do quotidiano, de tempos livres e ou pedagógicas, contribuindo para o desenvolvimento integral e bem-estar das crianças e jovens, no respeito pelos princípios de segurança e deontologia profissional.

O/A futuro/a Técnico/a de Ação Educativa deverá:
– Colaborar na planificação, organização e execução de atividades a desenvolver com as crianças e jovens em diferentes contextos de atuação.
– Colaborar com o/a responsável pelas atividades lúdico-pedagógicas no seu planeamento e organização, em função das temáticas e dos conteúdos a desenvolver.
– Vigiar, acompanhar e apoiar crianças e jovens, no desenvolvimento das atividades previstas, garantindo e promovendo a sua segurança em todos os momentos.
– Acompanhar e apoiar crianças e jovens no desenvolvimento das atividades de higiene pessoal.
– Organizar refeições, bem como acompanhar e apoiar as crianças e jovens durante o período de refeições.
– Assegurar as condições de higiene, segurança e organização do local onde as crianças e jovens se encontram, bem como dos equipamentos e materiais utilizados.
– Detetar e reportar superiormente eventuais problemas de saúde e de desenvolvimento ou outros respeitantes às rotinas diárias das crianças e jovens.
– Registar e reportar superiormente ocorrências.


10648 – Ato educativo – contexto e intervenientes
10649 – Fundamentos de pedagogia
10650 – Currículo e áreas de conteúdo educativo
10651 – Espaços socioeducativos
10652 – Projeto de intervenção pedagógica
10653 – Literatura para a infância e juventude
10654 – Crescimento e desenvolvimento na infância
10655 – Crescimento e desenvolvimento na adolescência
10656 – Linguagem plástica – elementos estruturantes
10657 – Pintura e práticas de representação livre
106658 – Recursos e materiais educativos
10659 – Ficheiros de recursos educativos
10660 – Atividades lúdico-expressivas
10661 – Técnicas de manipulação de formas animadas
10662 – Dinâmica corporal
10663 – Artes do espetáculo
10664 – Instrumentos rítmicos
3282 – Planificação de atividades pedagógicas e gestão do tempo
8854 – Prestação de cuidados humanos básicos – alimentação
9631 – Ética e deontologia profissional no trabalho com crianças e jovens
9632 – Sistema Nacional de Intervenção Precoce na Infância
9634 – Respostas sociais e educativas para crianças e jovens
9636 – Segurança e prevenção de acidentes com crianças e jovens
9639 – Atividades do quotidiano com crianças e jovens
9641 – Cuidados de saúde primários para crianças e jovens
9647 – Intervenção pedagógica com crianças e jovens com necessidades educativas específicas
9649 – Educação inclusiva e necessidades educativas específicas
9851 – Técnicas de animação para crianças e jovens
9852 – Cuidados básicos de higiene em crianças e jovens
9182 – Enquadramento legal e princípios éticos e deontológicos no exercício da atividade de ama
9183 – Desenvolvimento da criança dos 0 aos 3 anos – iniciação
9184 – Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança dos 0 aos 3 anos – regras básicas
9185 – Cuidados de rotina diária e atividades promotoras do desenvolvimento da criança
9186 – Modelos familiares e formas de parentalidade
PORTEFÓLIO REFLEXIVO DE APRENDIZAGEM-PRA
ESTÁGIO

10656 – Linguagem plástica – elementos estruturantes



1 – Formação presencial/em sala (turma)


A avaliação da aprendizagem

A avaliação da aprendizagem de caráter formativo, qualitativo e processual.
O instrumento de suporte para as decisões sobre a validação das aprendizagens do formando é o PRA – o documento que justifica a certificação final.
As validações são feitas ao longo da formação, em momentos “críticos”, como sejam as fases de final de UFCD/atividade integradora em que a equipa considere que há já um conjunto de aprendizagens significativas que justifique uma validação de UFCD do plano curricular, a par com um conjunto de competências transversais do domínio pessoal e social.
Para cada UFCD de 50h, o formador dispõe de 3h em cronograma para orientar o trabalho de PRA do/a formando/a relativamente à validação da respetiva UFCD, caso se trate de uma UFCD de 25h, dispõe de 25h. A par o mediador dispõe de 85 h para consolidar e orientar a construção deste documento de avaliação.
Condições para a dupla certificação:
– o formando deve obter uma avaliação sumativa com aproveitamento em todas as componentes do seu percurso formativo e respetivas UFCD, incluindo a FPCT.
– na formação de base, a certificação depende da validação dos quatro resultados de aprendizagem definidos para cada UFCD.

Modelo utilizado para o registo formal da avaliação das aprendizagens:
– Mod.CF.246.00 – Grelha de avaliação da UFCD;
– Mod.CF.247.00 – Grelha de autoavaliação da UFCD (realizada pelo formando/a).

Avaliação de Reação:
Sendo esta uma ação de longa duração (com mais de 300 horas), os questionários aplicar-se-ão de 3 em 3 meses ou sempre que tal se justificar.
Os inquéritos por questionário aplicar-se-ão a formandos, formador, coordenador [e entidade cliente quando se aplique].

Avaliação de Desempenho
Sendo esta uma ação de longa duração (com mais de 300 horas), o formador será avaliado sempre que se desencadeie um processo de avaliação,salvo se, decorrente de alguma ocorrência, seja necessário avaliar o seu desempenho antecipadamente.
O desempenho dos formadores é avaliado por formandos, coordenador e pelo próprio. Estas avaliações resultam numa média global de desempenho. Esta média é calculada pelo somatório das apreciações obtidas, divididas pelo número de respostas, sendo que as respostas dos formandos têm um peso de 50%, as do coordenador têm um peso de 40% e as do formador têm um peso de 10%.


Confere Certificado de Qualificações, emitido pelo Sistema de Informação e Gestão da Oferta Educativa e Formativa (SIGO) do Ministério da Educação, conforme Portaria nº 199/2011 de 19 de maio, com enquadramento legal no Sistema Nacional de Qualificações – Decreto-Lei nº 396/2007.