Operador/a Agrícola

0.00

APOIOS FINANCEIROS AOS FORMANDOS ATÉ 593,13/mês :

Bolsa de formação até 307,17€ / Mês + Pagamento da Totalidade das Despesas de Transporte (se aplicável) | + Subsídio de alojamento até 131,64€/Mês (se aplicável) | +Subsídio de Acolhimento de dependentes até 219,41€/Mês (se aplicável)

DOCUMENTOS OBRIGATÓRIOS PARA FREQUÊNCIA NA AÇÃO :

Cartão Cidadão ou BI + NIF + NISS | Certificado de Habilitações Literárias | IBAN (documento bancário com identificação do/a titular, apenas quando aplicável) | Comprovativo da situação face ao emprego (com data de mês em que inicia a formação ou do mês anterior)

⇒Descrição do Curso no Catálogo Nacional de Qualificações

Curso financiado pelo programa POCH. Entidade parceira, RESDOURO

Contacto para próxima edição

REF: 968 Categoria:

Descrição


Localidade
Resende




Data Início
10/05/2021




Data Fim
30/09/2022




Cronograma




Observações
Vai decorrer no formato presencial em horário laboral das 09.00h às 12.30h e das 14.00h às 17.30h.




Inscreva-se


Os cursos de educação e formação de adultos enquadram-se no Eixo Prioritário 3 – Aprendizagem, qualificação ao longo da vida e reforço da empregabilidade – do Programa Operacional Capital Humano (PO CH), incidindo o presente aviso nos cursos de Educação e Formação de Adultos (EFA), regulamentados pela Portaria n.º 230/2008, de 7 de março, com a redação dada pelas Portarias n.º 711/2010, de 17 de agosto e n.º 283/2011, de 24 de outubro.

Os cursos EFA desenvolvem-se em percursos de dupla certificação do Catálogo Nacional de Qualificações (CNQ), visando obter, designadamente, uma qualificação de nível 2 ou 4 do Quadro Nacional de Qualificações(QNQ).

Será dada prioridade ao envolvimento nos cursos EFA adultos encaminhados pelos Centros Qualifica, devendo por isso em regra representar pelo menos metade dos participantes nos mesmos.


Idade Mínima: 18
Idade Máxima: 64
Situação: Activo do sector agrícola – Agricultor não empresário
Activo do sector agrícola – Mão-de-obra agrícola familiar
Activo do sector agrícola – Eventuais por conta de outrem
Activo do sector agrícola – Agricultores empresários

Habilitações Mínimas: 3º ciclo (9º ano)
Habilitações Específicas: – Candidatos/as com idade igual ou superior a 18 anos, à data de início da formação;
– Candidatos/as com o 6º ano completo, sem a conclusão do Ensino Básico e que pretendam completar o ensino básico + a obtenção de uma qualificação profissional.
– Ativos do sector agrícola


Executar tarefas relativas à produção de produtos agrícolas de origem vegetal, aplicando técnicas, métodos e modos de produção compatíveis com a preservação dos recursos e a proteção ambiental, tendo em conta as necessidades das culturas e as condições edafoclimáticas e respeitando as normas de qualidade dos produtos, de segurança alimentar e de segurança, higiene e saúde no trabalho agrícola.

Atividades Principais:
– Proceder à preparação do terreno para a sementeira e para a instalação de culturas ou de plantações, segundo o modo de produção definido.
– Instalar culturas e plantações, de acordo com as operações culturais a realizar e o modo de produção definido.
– Proceder às operações culturais necessárias ao desenvolvimento de culturas e de plantações, tendo em conta os hábitos vegetativos das espécies, as condições edafoclimáticas, a condução das culturas ao ar livre ou protegidas, de acordo com o método e o modo de produção definido.
– Proceder à colheita dos produtos das culturas e das plantações, tendo em conta as suas características, os fins a que se destinam e o modo de produção.
– Proceder às operações de corte, armazenamento e conservação da produção forrageira, de acordo com o método estabelecido, assegurando a adequada conservação dos alimentos e a minimização do impacto ambiental.
– Conduzir, operar e regular máquinas e equipamentos agrícolas adequados às atividades a realizar, tendo em conta as normas de segurança no trabalho e a proteção ambiental.
– Executar a conservação e limpeza dos equipamentos e das instalações da exploração.
– Registar dados relativos às operações efetuadas, para utilização técnica e contabilística, a fim de controlar os resultados e a produtividade da exploração.
– Executar operações simples ligadas às atividades pecuárias e florestais.


CE_B3_A – Organização política dos estados democráticos
CE_B3_B – Organização económica dos estados democráticos
CE_B3_C – Educação/formação, profissão e trabalho/emprego
CE_B3_D – Ambiente e saúde
LC_B3_A – Interpretar e produzir enunciados orais adequados a diferentes contextos, fundamentando opiniões
LC_B3_B – Interpretar textos de caráter informativo-reflexivo, argumentativo e literário
LC_B3_C – Produzir textos informativos, reflexivos e persuasivos
LC_B3_D – Interpretar e produzir linguagem não verbal adequada a contextos diversificados, de caráter restrito ou universal
LC_B3_LE_A – Compreender, quando a linguagem é clara e estandardizada, assuntos familiares e de seu interesse; Produzir um discurso simples e coerente
LC_B3_LE_B – Compreender as ideias principais de textos relativamente complexos sobre assuntos concretos; Comunicar experiências e expor brevemente ra
MV_B3_B – Usar a matemática para analisar e resolver problemas e situações problemáticas
MV_B3_A – Interpretar, organizar, analisar e comunicar informação utilizando processos e procedimentos matemáticos
MV_B3_D – Raciocinar matematicamente de forma indutiva e de forma dedutiva
MV_B3_C – Compreender e usar conexões matemáticas em contextos de vida
TIC_B3_A – Operar, em segurança, equipamento tecnológico, designadamente o computador
TIC_B3_B – Utilizar uma aplicação de folhas de cálculo
TIC_B3_C – Utilizar um programa de processamento de texto e de apresentação de informação
TIC_B3_D – Usar a Internet para obter, transmitir e publicar informação
2853 – Trator e máquinas agrícolas – constituição, funcionamento, manutenção e regulação
2854 – Código da estrada
2855 – Condução do trator com reboque e máquinas agrícolas
2858 – Processos e métodos de mobilização do solo
2859 – Processos e métodos de correção/fertilização do solo
2920 – Agrimensura e registo de dados
2863 – Pragas, doenças, infestantes, acidentes, nutrição e exigências das culturas
2922 – Maneio animal e manutenção de espaços florestais
3018 – Culturas arvenses – enquadramento
3019 – Operações culturais das culturas arvenses
3035 – Viticultura – enquadramento
6275 – Agricultura como setor de atividade económica
6276 – Política agrícola, ambiente e ordenamento do território
6277 – Solo, clima e plantas na produção agrícola
6278 – Modos de produção agrícola e agricultura sustentável
6279 – Proteção ambiental, tratamento e eliminação de efluentes e resíduos da exploração
6280 – Processos e métodos de sementeira e plantação
6281 – Processos e métodos de proteção fitossanitária e de aplicação de produtos fitofarmacêuticos
6282 – Culturas hortícolas comestíveis e não comestíveis, aromáticas, medicinais e condimentares – enquadramento
6283 – Operações culturais das culturas hortícolas, comestíveis e não comestíveis, aromáticas, medicinais e condimentares
6284 – Fruticultura – enquadramento
6285 – Operações culturais de implantação, condução, manutenção e colheita de pomares
6286 – Olivicultura – enquadramento
6287 – Operações culturais de implantação, condução, manutenção e colheita do olival
6288 – Operações culturais de implantação, condução, manutenção e colheita da vinha
4478 – Técnicas de socorrismo – princípios básicos
9580 – Comercialização agroalimentar em circuitos curtos
7853 – Ideias e oportunidades de negócio
7854 – Plano de negócio – criação de micronegócios
Formação Prática em Contexto de Trabalho (estágio)
AA – Aprender com Autonomia
AA – Aprender com Autonomia
LC_B3_LE_A – Compreender, quando a linguagem é clara e estandardizada, assuntos familiares e de seu interesse; Produzir um discurso simples e coerente



1 – Formação presencial/em sala (turma)


A avaliação da aprendizagem

A avaliação da aprendizagem de caráter formativo, qualitativo e processual.
O instrumento de suporte para as decisões sobre a validação das aprendizagens do formando é o PRA – o documento que justifica a certificação final.
As validações são feitas ao longo da formação, em momentos “críticos”, como sejam as fases de final de UFCD/atividade integradora em que a equipa considere que há já um conjunto de aprendizagens significativas que justifique uma validação de UFCD do plano curricular, a par com um conjunto de competências transversais do domínio pessoal e social.
Para cada UFCD de 50h, o formador dispõe de 3h em cronograma para orientar o trabalho de PRA do/a formando/a relativamente à validação da respetiva UFCD, caso se trate de uma UFCD de 25h, dispõe de 25h. A par o mediador dispõe de 85 h para consolidar e orientar a construção deste documento de avaliação.
Condições para a dupla certificação:
– o formando deve obter uma avaliação sumativa com aproveitamento em todas as componentes do seu percurso formativo e respetivas UFCD, incluindo a FPCT.
– na formação de base, a certificação depende da validação dos quatro resultados de aprendizagem definidos para cada UFCD.

Modelo utilizado para o registo formal da avaliação das aprendizagens:
– Mod.CF.246.00 – Grelha de avaliação da UFCD;
– Mod.CF.247.00 – Grelha de autoavaliação da UFCD (realizada pelo formando/a).

Avaliação de Reação:
Sendo esta uma ação de longa duração (com mais de 300 horas), os questionários aplicar-se-ão de 3 em 3 meses ou sempre que tal se justificar.
Os inquéritos por questionário aplicar-se-ão a formandos, formador, coordenador [e entidade cliente quando se aplique].

Avaliação de Desempenho
Sendo esta uma ação de longa duração (com mais de 300 horas), o formador será avaliado sempre que se desencadeie um processo de avaliação,salvo se, decorrente de alguma ocorrência, seja necessário avaliar o seu desempenho antecipadamente.
O desempenho dos formadores é avaliado por formandos, coordenador e pelo próprio. Estas avaliações resultam numa média global de desempenho. Esta média é calculada pelo somatório das apreciações obtidas, divididas pelo número de respostas, sendo que as respostas dos formandos têm um peso de 50%, as do coordenador têm um peso de 40% e as do formador têm um peso de 10%.


Confere Certificado de Qualificações, emitido pelo Sistema de Informação e Gestão da Oferta Educativa e Formativa (SIGO) do Ministério da Educação, conforme Portaria nº 199/2011 de 19 de maio, com enquadramento legal no Sistema Nacional de Qualificações – Decreto-Lei nº 396/2007.