Inspeção a Sistemas de Rega e de Bombeamento (ISRB)

170.00

Curso parcialmente financiado pelo programa PDR2020, direcionado para Técnicos da área agrícola.

Formação direcionada a Técnicos da área agrícola que desenvolvem ou pretendam desenvolver atividades de inspeção a sistemas de rega e de bombeamento (artigo 3.º do Despacho n.º 10736/2015 de 28 de setembro).

Vai decorrer online, pelo que os/as formandos/as deverão possuir os recursos tecnológicos recomendados, nomeadamente, internet, computador ou tablet ou smartphone, devendo os mesmos estar apetrechados de sistema áudio e vídeo.

Pode efetuar o pagamento por referência multibanco (aquando inscrição a plataforma gere os códigos), ou, se preferir pode efetuar transferência bancária para o nº de IBAN IBAN PT50 0033 0000 01090445223 09. É solicitado o envio do comprovativo, relativo ao pagamento através de transferência bancária, para o email judite@consultua.com

Regulamento Específico e Referencial do curso disponíveis no site da DGADR

Contacto para próxima edição

REF: 911 Categoria:

Descrição


Localidade
Online em b-learning




Data Início
16/04/2021




Data Fim
26/05/2021




Cronograma




Observações
Formação em b-learning, com sessões online síncronas através do MOODLE. Sessões presenciais em Penafiel.




Inscreva-se




Localidade
Online em b-learning




Data Início
28/05/2021




Data Fim
08/07/2021




Cronograma




Observações
Formação em b-learning, com sessões online síncronas através do MOODLE. Sessões presenciais na Consultua em Mirandela.




Inscreva-se


Nos termos dos artigos 6.º e 7.º da Portaria n.º 354/2013 de 9 de dezembro, o presente regulamento estabelece os critérios específicos de ingresso dos formandos e de seleção dos formadores, as condições específicas de organização e as particulares para a realização de ações de formação, bem como as condições específicas para a realização da avaliação de aprendizagem do curso referido, cujo programa figura no sítio da DGADR.


Idade Mínima: 0
Idade Máxima: 0
Situação: Empregados por conta própria
Empregados por conta de outrem – Internos
Empregados por conta de outrem – Externos

Habilitações Mínimas: Bacharelato
Habilitações Específicas: – Formação Superior na área agrícola, florestal e animal.
– Será aceite a detenção de formação superior em engenharia dos recursos hídricos, desde que os respectivos planos curriculares integrem, cumulativamente, temáticas de pedologia/solos, conservação do solo, física do solo, variáveis microclimáticas e introdução à produção agrícola. Outras habilitações ficarão sujeitas a aprovação, após análise casa a caso, com base no plano curricular dos estudos superiores seguidos.
– Os candidatos cuja formação académica não cumpra os requisitos de habilitação literária terão que demonstrar uma sólida experiência profissional anterior na área da rega, correspondente a 5 anos de experiência com dedicação exclusiva.


Capacitar os participantes com conhecimentos, competências e atitudes sobre as metodologias, técnicas e critérios de inspeção a sistemas de rega e de bombeamento, para, entre outras atuações, realizarem as inspeções técnicas a que se refere o art.º 15.º da Portaria n.º 136/2015 de 19 de maio.


Introdução à Ação
Bloco I – Príncipios gerais e técnicas de projeto – I.1 Princípios básicos de Hidráulica
Bloco I – Príncipios gerais e técnicas de projeto – I.2 Métodos de rega
Bloco I – Príncipios gerais e técnicas de projeto – I.3 Critérios de projeto
Bloco I – Príncipios gerais e técnicas de projeto – I.4 Sistemas de filtração
Bloco I – Príncipios gerais e técnicas de projeto – I.5 Bombas
Bloco II – Técnicas de auditoria – II.1 Normas de inspeção
Bloco II – Técnicas de auditoria – II.2 Técnicas de medição do caudal e do volume
Bloco II – Técnicas de auditoria – II.3 Técnicas da medição da pressão
Bloco II – Técnicas de auditoria – II.4 Auditoria a sistemas de rega
Bloco II – Técnicas de auditoria – II.5 Auditoria a sistemas de filtração
Bloco II – Técnicas de auditoria – II.6 Auditoria a sistemas de contagem de água
Bloco II – Técnicas de auditoria -II.7 Auditoria a sistemas de bombeamento
Bloco II – Técnicas de auditoria – II.8 Conteudo dos relatórios de auditoria/ inspeção
Bloco III – Prática de Inspeções Técnicas – III.1 Aspersão clássica ou canhão
Bloco III – Prática de Inspeções Técnicas – III.2 Pivô ou Lateral Móvel
Bloco III – Prática de Inspeções Técnicas – III.3 Micro-aspersão ou Gota-a-gota
Avaliação e Encerramento – Avaliação
Avaliação e Encerramento – Encerramento

Bloco II – Técnicas de auditoria – II.3 Técnicas da medição da pressão



6 – Formação em B-learning (turma)


Deve ser realizada uma avaliação de reação final.
Nos diferentes módulos, de forma agrupada ou em cada um, é efetuada avaliação formativa através de trabalhos individuais.
A Avaliação de Conhecimentos é composta por duas provas de natureza sumativa, uma teórica e outra prática. A prova teórica consiste num teste escrito, incidindo sobre todas as temáticas do curso, devendo ter no mínimo dez perguntas. A prova prática é efetuada em grupo, no decurso de uma ou mais sessões práticas.
As provas de avaliação de conhecimentos são concebidas, realizadas e classificadas pelos formadores.
Compete também ao(s) formador(es) conceber para as provas práticas os respetivos formulários e guiões de prova, assim como as grelhas de avaliação e de pontuação do grupo e de cada formando.


Serão considerados aprovados os formandos que tenham tido assiduidade ao curso e que obtenham uma pontuação final, resultante da média das pontuações obtidas nas provas teórica e prática realizadas na Avaliação de Conhecimentos, igual ou superior a 10 valores. A pontuação final das provas práticas resulta da média das pontuações obtidas em cada um dos trabalhos realizados. As provas são pontuadas de 0 a 20 valores. Aos formandos com uma pontuação final igual ou superior a 10 valores, será atribuída a classificação final “Com aproveitamento”.

Confere Certificado de Qualificações, emitido pelo Sistema de Informação e Gestão da Oferta Educativa e Formativa (SIGO) do Ministério da Educação, conforme Portaria nº 474/2010, de 8 de Julho, com enquadramento legal no Sistema Nacional de Qualificações – Decreto-Lei nº 396/2007